fbpx

Quem nunca ouviu aquele velho ditado que diz: uma imagem, vale mais que mil palavras! Acredite, esse termo mudou e nos dias atuais, se uma imagem vale mais que mil palavras, um vídeo vale mais que mil imagens!

Não é de hoje que diversas pessoas estão priorizando o conteúdo em vídeo. Pense rapidamente com a gente, quantos MB de conteúdo em vídeo você recebe pelo Whatsapp? Se falarmos das outras redes sociais, acreditamos que você gasta Gigas (GB) baixando ou assistindo por stream, vídeos do Youtube, Facebook, Instagram, entre outros. Já imaginou que esse conteúdo distribuído poderia ser o seu?

Mas a pergunta é: como produtor de conteúdo visual, o que será preciso fazer para se destacar dos demais produtores e sair na frente nessa jornada? Se você quer saber quais serão as próximas tendências da década no mundo audiovisual, continue lendo este artigo, ele foi feito especialmente para você! Preparado? Vamos lá!

1. A segunda revolução em vídeo já começou!

De acordo com pesquisa da Cisco, em 2020, 82% do tráfego da internet serão gerados por vídeo e já sabemos que 80% dos usuários (que utilizam a internet no geral) preferem assistir conteúdo audiovisual.

Resumindo, os usuários usam vídeos para aprender a fazer algo, decidir se vão comprar um determinado produto ou não, para entretenimento, informação, educação, entre outros. O Brasil, além de ser o segundo país que mais passa tempo em redes sociais, também é o segundo maior mercado para o YouTube no que diz respeito ao número de horas de vídeo assistidas.

De 2014 (primeira revolução em vídeo) para cá, o consumo em vídeo online cresceu mais de 135% e com isso, a força do digital em aproximar marcas e consumidores cresceu cada vez mais e, agora, o vídeo é visto como estratégia. Ou seja, ele é parte fundamental de toda estratégia de marketing. Segundo a pesquisa State of Video 2018, as marcas já veem o retorno sobre o investimento em produção de vídeo on-line, percebem o quanto o vídeo dentro de uma estratégia clara, conectada e dentro dos objetivos da marca, engaja, emociona, inspira, possibilita melhorias em produtos e serviços e, de um modo geral, aproxima e abre conversa com os usuários.

Mas como entender o que os consumidores desejam nesta nova década e criar um conteúdo audiovisual que engaje as pessoas e seja rentável para você e/ou sua empresa? Confira agora!

2. Tenha esses dados em mãos

Ainda com base na pesquisa da Cisco, ela prevê que que o tráfego partindo de Wi-Fi e de redes mobile irão representar 66% de todo o tráfego em 4 anos, e estes números são apoiados por outras pesquisas. Em seu estudo recente, o IAB confirmou que mais espectadores estão acessando vídeo através de seus dispositivos móveis, com cerca da metade do nosso consumo diário de mídia digital vindo por meio de smartphones e tablets. Ainda com base nessa pesquisa temos:

• 80% do consumo global da Internet será o conteúdo de vídeo;

• Serviços de streaming irão alimentar o crescimento tendo o vídeo 4K como o novo padrão de qualidade para os consumidores;

• O tráfego global para chegará a 2 zettabytes (100 trilhões de gigabytes);

• O tráfego de dispositivos sem fio e mobile irá subir para 66%;

• A cada segundo, quase um milhão de minutos de conteúdo em vídeo irá cruzar redes;

• O consumidor de tráfego VoD (video on demand) irá quase dobrar nessa nova década, para o equivalente a 7 bilhões de DVDs por mês;.

A Cisco prevê que o tráfego de vídeo através da internet irá dominar os demais tipos de consumo de banda, tendo uma enorme quota do mercado global.

2.1 O Poder dos vídeos na sua presença digital

Estar nas Redes Sociais não significa ter presença digital, você precisa criar conteúdo que desperte atenção das pessoas e saber direcioná-los para o público certo.

Esse é o grande calcanhar de Aquiles de muitas pessoas e empresas que não estão tendo resultados, que ficam o tempo todo boiando nas ondas das Redes Sociais sem ser vistos nem ouvidos.

Em poucas palavras, você precisa direcionar seu conteúdo para o público certo e para que isso aconteça, tenha em mente as seguintes perguntas:

• Como oferecer o conteúdo certo e no formato correto para o público específico?

• Como Identificar seu público alvo, as dores e os desejos?

• Qual tipo de vídeo oferecer?

• Quais estratégias usar na rede social?

Obteve as respostas para essas perguntas? Chegou a hora de dar o próximo passo!

Crie uma linha editorial com as publicações que você pretende fazer e vá testando durante um período, vendo o que funciona e como o público interage. A linha editorial vai ajudar você a se organizar e também a planejar o seu conteúdo.

Mas, tenha algo em mente, quando falamos sobre conteúdo em vídeo, não estamos mencionando somente o YouTube (ou Instagram) e que todo seu conteúdo deva ser postado lá. O conteúdo para a nova década é muito mais abrangente e interligado. Para saber o motivo, confira o próximo item.

2.2 Vá além do YouTube, invista em diversas mídias

Como sabemos, o YouTube é o segundo maior buscador do mundo (só perdendo para o Google). No entanto, você pode potencializar seus resultados e ampliar sua presença digital ao incorporar vídeos do YouTube dentro de posts em seu blog. Uma maneira simples de fazer isso, é transcrever ou até mesmo fazer um resumo do que foi abordado no vídeo para incluir tal conteúdo em formato de texto em um post do blog.

Quanto maior for a sua presença na web, melhores serão seus resultados. Se uma pessoa faz uma busca no YouTube e encontra algum conteúdo seu, isso é ótimo. Mas, já pensou se ela te encontrar também quando fizer uma pesquisa no Google? Ou ainda, encontrar um conteúdo seu quando estiver buscando por um podcast, por uma imagem ou por um e-book? Seria excelente, não é mesmo? Por isso, incentivamos você a produzir materiais ricos e disponibilizar seu conteúdo não somente em um formato (áudio, vídeo, texto, imagem), mas sim em vários formatos.

Ao publicar o vídeo apenas no YouTube, você também perde a oportunidade de trabalhar melhor os resultados que pode obter. Isso porque no YouTube você não consegue colocar uma tag de remarketing do Facebook ou um botão chamativo para fazer um call to action mais interessante (coisa que você poderia fazer em uma landing page ou dentro de um post de blog).

3. Conclusões

No fim das contas, para esta nova década o grande ponto é investir mais em vídeos e com isso, ter mais audiência aproveitando um trabalho que você já teve (no caso, o trabalho de já ter gravado o vídeo). Uma vez que você produz um material, fica muito mais fácil replicá-lo em outros formatos, para atingir e engajar mais pessoas.

Com mais audiência, maior será o número de pessoas que estarão em contato com a sua marca, conhecendo os produtos e serviços que você tem a oferecer. Dessa forma, você pode aumentar sua base de fãs e leads, gerando mais vendas e colocando mais dinheiro no bolso em um futuro próximo.

E você, já investe em vídeos? Sua empresa está preparada para o conteúdo da nova década? Deixe um comentário caso tenha alguma outra dúvida. Teremos o maior prazer em responder você.

Para ajuda de uma equipe profissional na produção de conteúdos em vídeo para estratégias digitais, fale conosco pelo fone (62) 3099-6632.

Participe da discussão

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll Up